Realizamos projetos nos referenciais normativos mais transversais, como os da Qualidade (ISO 9001), Ambiente (ISO 14001) e Segurança e Saúde do Trabalho (OHSAS 18001).

 

Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ)
Com a implementação deste sistema, segundo a norma ISO 9001, as organizações têm a possibilidade da certificação e a oportunidade de adotar os princípios desenvolvidos pelos especialistas e organizações internacionais para a Qualidade.

Vantagens Competitivas para as Organizações:

  • Centro de atenção no cliente;
  • Liderança;
  • Comprometimento das pessoas;
  • Abordagem por processos;
  • Melhoria;
  • Tomada de decisão baseada em evidências;
  • Gestão das relações.

Deste modo as organizações podem ganhar maior produtividade e serem diferentes da concorrência, aumentando também a credibilidade e visibilidade pela obtenção da certificação, podendo alcançar novos mercados e novos clientes.

Sistemas de Gestão Ambiental (SGA)
A crescente preocupação das organizações com os seus impactes ambientais, o cumprimento da legislação ambiental, a melhoria dos processos, a credibilidade da sua imagem e a manutenção no mercado global, tem contribuído para aumentar a implementação e certificação de sistemas de gestão ambiental segundo a norma ISO 14001 e segundo a Verificação EMAS – Regulamento Europeu (CE) nº 1221.

Os objetivos globais destes referenciais são:

  • Facilitar às organizações a conceção, implementação e melhoria do seu sistema de gestão ambiental;
  • Monitorizar a conformidade da sua política ambiental e disposições legais ambientais aplicáveis;
  • Demonstrar o seu compromisso ambiental e a certificação do seu sistema ambiental.

Vantagens: 

  • Redução do risco de operação: minimização dos impactes ambientais e monitorização da legislação aplicável e consequentemente menor risco de acidentes ambientais e coimas.
  • Redução dos custos de operação: monitorização e possibilidade de melhoria de todos os descritores ambientais e consequente redução de consumos – energia, água, matérias-primas, redução no tratamento de efluentes e resíduos e diminuição dos prémios de seguros.
  • Aumento de competitividade pela melhoria dos processos internos, redução de custos e motivação da equipa de colaboradores.
  • Possibilidade de certificação, diferenciação e aceitação no mercado e atração de possíveis investidores.
  • Possibilidade de acesso a novos mercados em que atuam clientes com exigências ambientais.
  • Integração com outros sistemas de gestão, nomeadamente com um sistema de gestão da qualidade ISO 9001, visto terem sido desenvolvidos segundo os mesmos princípios, nomeadamente com o ciclo de melhoria contínua – PDCA (Plan-Do-Check-Act).

Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho
Com o objetivo de controlar o risco da sua atividade e melhorar o seu desempenho e imagem, muitas organizações já implementaram um Sistema de Gestão da Segurança e Saúde do Trabalho segundo a norma NP 4397/OHSAS 18001.
Este referencial define um sistema que permite às organizações minimizar os riscos para os seus colaboradores, o desenvolvimento da sua política e objetivos e a monitorização e melhoria das suas atividades e processos para a Segurança e Saúde no Trabalho.

Vantagens:

  • Diminuição do risco de ocorrência de acidentes de trabalho e de doenças profissionais; 
  • Redução das baixas médicas e consequente diminuição do absentismo;
  • Evidenciar o cumprimento com a legislação aplicável;
  • Redução de custos relacionados com prémios de seguros, indemnizações, paragens, quebras de produção/serviço e acidentes;
  • Melhoria das condições de trabalho e satisfação dos colaboradores, assim como o aumento da produtividade;
  • Melhoria da imagem;
  • Possibilidade de certificação e consequente diferenciação e aceitação no mercado e atração de possíveis investidores;
  • Possibilidade de acesso a novos mercados em que atuam clientes com exigências para a Segurança do Trabalho.

A norma OHSAS 18001 foi desenvolvida segundo o modelo de sistema de gestão de melhoria contínua – PDCA (Plan-Do-Check-Act) e para ser compatível com as normas ISO 9001 – Sistemas de Gestão da Qualidade e ISO 14001 – Sistemas de Gestão Ambiental, permitindo assim com facilidade a sua integração.

Certificação do Serviço de Manutenção de Extintores
A norma portuguesa NP 4413:2006 – “Segurança contra incêndios. Manutenção de Extintores”, define os requisitos que são necessários cumprir pelas empresas que fornecem serviços de manutenção de extintores. A certificação segundo esta norma é obrigatória desde Janeiro de 2009, decorrente da entrada em vigor do Decreto-Lei nº 220/2008, regime jurídico da Segurança Contra Incêndios em Edifícios (SCIE) e respetivo regulamento técnico da Portaria nº 1532/2008.
As empresas certificadas são avaliadas periodicamente por uma entidade externa independente, acreditada para o efeito, assegurando que os prestadores deste serviço, mantêm sistematicamente, níveis de capacidade técnica e organizacionais satisfatórios, incluindo qualificação e formação dos seus colaboradores, instalações e equipamentos adequados.
Para poderem prestar o serviço, as organizações desta área, têm também de estar registadas na Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Para reconhecer uma empresa de manutenção de extintores, devidamente qualificada, são precisas as seguintes características:

  • Certificado da empresa certificada no âmbito NP 4413:2006, por organismo certificador acreditado para o efeito;
  • Registo na ANPC;
  • Aposição do símbolo de empresa certificada na comunicação institucional;
  • As intervenções são realizadas por técnicos qualificados;
  • Emite relatórios de intervenção por cada extintor sujeito a manutenção;
  • Os extintores apresentam etiqueta de manutenção em conformidade com NP 4413.

Os extintores apresentam um rótulo com marca de produto certificado segundo a norma EN 3 e símbolo de marcação CE.

Segurança Contra Incêndios em Edifícios (SCIE) – Medidas de Autoproteção (MAP)
O Decreto-Lei nº 220/2008 de 12 de Novembro, alterado pelo Decreto-Lei nº 224/2015 de 09 de Outubro, estabelece o regime jurídico da Segurança Contra Incêndios em Edifícios (SCIE) e a Portaria nº 1532/2008 de 29 de Dezembro que aprova o Regulamento Técnico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios.

As Medidas de Autoproteção poderão consistir em: 
(Dependendo da utilização tipo e da categoria de risco do edifício)

  • Registos de segurança;
  • Procedimentos de prevenção;
  • Plano de prevenção;
  • Procedimentos em caso de emergência;
  • Plano de emergência interno;
  • Ações de sensibilização e formação;
  • Simulacros;