Como orçamentar a casa dos seus sonhos

Construir uma casa é o sonho de várias pessoas. Na hora de o concretizar, por vezes perdemo-nos em papelada e em jargão técnico, que tornam o processo menos prazeroso do que o que seria desejável.

A melhor forma de contornar isto é entender cada passo necessário, e, acima de tudo, ter um orçamento bem definido, pois é a partir dele que tudo se vai trabalhar. Depois, é muito importante saber do que se gosta e do que não se gosta, para balizar o trabalho dos profissionais, garantindo, ao mesmo tempo, a flexibilidade necessária para que os técnicos com quem escolher trabalhar lhe possam apresentar as melhores soluções, consoante as suas necessidades e expectativas.

Tipicamente, deverá incluir as seguintes rubricas no seu orçamento:

  • Terreno

Caso ainda tenha que o adquirir. Tenha em atenção que não só o tamanho, mas também a localização, interferem no preço de um terreno. Faça uma pesquisa sobre os preços de terrenos na zona onde gostaria de construir a casa para ter uma noção mais aproximada do custo.

  • Licenciamentos

O valor das taxas a pagar à Câmara Municipal. Estes preços estão tabelados, e deverá conseguir essa informação junto dos serviços municipais.

  • Arquitetura

Geralmente, o arquiteto cobra uma percentagem do seu orçamento para desenvolver o projeto.

  • Projetos de Especialidades

Há gabinetes que fornecem serviços de Arquitetura e Engenharia, incluindo desde logo o valor de todos os projetos necessários no orçamento. Poderá ser vantajoso comparar esse orçamento com orçamentos independentes, para perceber de que forma lhe compensa mais.

  • Empresa de Construção

Se tiver contratado o serviço completo ao gabinete de Engenharia, e tiver na sua posse o Caderno de Encargos e o Mapa de Quantidades, a empresa de construção terá mais facilidade em dar-lhe um orçamento. Caso opte por confiar esse trabalho ao Empreiteiro, ele incluirá isso no orçamento que lhe apresenta.

Há vários diretórios na internet onde consegue ver tabelas com os preços médios praticados, como o Habitissimo. A título de exemplo, segundo dados desse portal, a construção de uma casa com 100m2 ronda os 80 000€.

Definir o orçamento – como detalhar?

Como já referimos, definir o orçamento para o seu projeto é vital para o sucesso do mesmo. Quanto dinheiro pode gastar para edificar a sua casa? Quanto mais rigoroso for nesta definição melhor é para si, e para os especialistas.

A casa terá mais que um piso? Quantos quartos? Vai ter piscina? Terá um estilo minimalista? Rústico? Saber o que se quer é essencial para perceber o orçamento, e, perante os valores, fazer adaptações, se necessário.

Como escolher o terreno?

Depois de ter uma noção dos valores praticados na área geográfica onde quer construir a sua casa, é altura de começar a procurar o terreno. Pode recorrer a profissionais do imobiliário, ou procurar por si mesmo. Se optar por fazer esse trabalho por si, não se esqueça de confirmar se poderá construir naquele terreno. Como assim? Simples: há terrenos em que não se pode efetuar qualquer construção, por pertencerem a reservas agrícolas, à Reserva Ecológica Nacional, ou afins. Convém consultar o Plano Diretor Municipal, ou ir diretamente à Câmara pedir esclarecimentos antes de efetuar a compra, até para saber se o terreno está loteado ou não, por exemplo. Isto será importante mais à frente no processo.

Também é importante perceber se o terreno precisará de algum trabalho, nomeadamente de terraplanagem (ou seja, alisamento do terreno para construção), pois isso terá um custo.

Se optar por contratar um profissional do imobiliário inclua os honorários no seu orçamento.

Contratar um arquiteto

Quando já tem onde construir, e já tem ideia do que quer, está na altura de passar aos projetos, de arquitetura e de especialidades. 

Quando for reunir com o arquiteto pode e deve levar exemplos do que gosta. Sejam desenhos seus ou imagens retiradas do Pinterest, é importante dar aos criativos várias fontes de inspiração direcionadas para os seus gostos e requisitos, que ilustrem o estilo de arquitetura com que mais se identifica.

Desde o início da conversa deve traçar as linhas vermelhas do seu projeto. Por exemplo, deve deixar claro se quiser que um dos quartos seja uma suite, se a garagem terá que ser projetada obrigatoriamente para dois carros, se não quer mesmo uma cozinha open space, etc. Caso tenha uma lista de materiais/preferências também deve referir, para que o arquiteto tenha isso em consideração ao desenhar o projeto, e possa, inclusivamente, explicar as mais valias e limitações que esses materiais possam ter. Lembre-se: se conseguir ter alguma flexibilidade conseguirá otimizar o seu projeto, incluindo a nível de custos.

Contratar um gabinete de engenharia

Depois de ter a arquitetura aprovada, está na altura de elaborar as especialidades. Dependendo das condições do terreno escolhido – se é um lote já previamente definido para construção, ou não – os procedimentos diferem um pouco, sendo que, no caso de Comunicação Prévia, poderá entregar o projeto de arquitetura e os projetos de especialidades em conjunto.  

Sejam quais forem os trâmites a seguir, é importante ter em atenção que nem o arquiteto nem o engenheiro controlam os timings de aprovação dos projetos por parte das autoridades competentes. Legalmente, as Câmaras devem responder aos pedidos de licenciamento em 60 dias úteis (ou seja, cerca de 3 meses). No entanto, caso solicitem esclarecimentos ou detetem correções a fazer, voltam a dispor do mesmo tempo para analisar a resposta. Há Municípios que são mais céleres que outros nestas questões, dependendo também das épocas e do volume de trabalho. Tente informar-se previamente sobre estes timings para gerir as suas expectativas.

Contratar o empreiteiro

Quando tiver o projeto de Arquitetura e os projetos de Especialidades aprovados pela Câmara, é emitida a devida licença de construção. Poderá ter que averbar esta licença junto das Finanças. Confirme esta questão com o Arquiteto ou Engenheiro com que está a trabalhar, para evitar coimas e juros de mora.

O orçamento vai depender dos materiais que escolher, e do tempo de execução. Conte sempre com imprevistos que possam acontecer, para evitar frustrações mais à frente caso a obra não seja concluída no tempo previsto. Para maximizar a eficácia dos timings previstos, poderá optar por contratar um serviço de Fiscalização de Obra.

Outros custos

Terminada a obra, e emitida a Licença de Utilização pela Câmara Municipal, terá que inscrever a matriz predial no serviço de Finanças da sua área de residência para que seja avaliado e estipulado o valor do IMI.


Construir a casa dos seus sonhos é um processo que deve entusiasmá-lo. Para tal, é importante ter a seu lado profissionais dedicados que trabalhem para transformar o seu sonho em realidade. Vamos concretizar o seu projeto? Contacte-nos! 


Partilhar:

Precisa de ajuda?