Como se recicla um extintor?

Os extintores são o meio mais comum de combate a incêndios na sua fase inicial. Legalmente, praticamente todos os edifícios, com exceção das habitações particulares, têm obrigatoriamente de possuir um extintor (ou mais) e/ou outros meios de combate a incêndios, mediante o definido pelos projetistas de Segurança Contra Incêndios nas Medidas de Autoproteção (MAP).

A segurança tem ganho relevância na sociedade, e há um crescente número de pessoas que, a título particular, compram extintores para ter em casa ou no automóvel.  Perante o cenário de crescente consumo deste tipo de materiais, é importante perceber como se deve proceder caso o extintor seja descarregado, ou ultrapasse a validade.

Os extintores têm validade?

Sim. A norma portuguesa NP 4413 estabelece a vida útil dos extintores, indicando que a validade dos extintores é de 20 anos, excetuando os extintores de dióxido de carbono, cuja vida útil se estende até aos 30 anos.

Muitos extintores comprados em superfícies comerciais como supermercados indicam apenas a data em que o mesmo foi fabricado, contando-se a vida útil a partir dessa data. Convém seguir as instruções de armazenamento do extintor, pois as mesmas podem ter influência na validade do equipamento.

Precisei do extintor, e agora?

Seja porque o extintor já se encontra em fim de vida, ou porque foi necessário utilizá-lo para fazer face a um foco de incêndio, é fulcral ter noção de que um extintor não é para deitar ao lixo. Há componentes do extintor que podem ser recicladas, e outras que precisam ser destruídas, segundo regras bem definidas na legislação nacional e supranacional.

O não tratamento destes resíduos de forma adequada tem consequências devastadoras para o meio ambiente, e é por isso que apenas empresas e técnicos devidamente creditados podem fazer o manuseamento destes materiais.

Geralmente, as empresas e instituições têm contratos de manutenção dos equipamentos de Segurança Contra Incêndios que são as responsáveis por garantir a operacionalidade desses equipamentos, bem como de efetuar as trocas de equipamentos sempre que for necessário. Todos os que, a título particular, efetuarem a compra de extintores, devem procurar uma destas empresas para entregar o extintor utilizado ou fora de validade. Caso não consiga encontrar alguma nas proximidades, deve telefonar para a corporação de bombeiros local que lhe indicará onde se deve dirigir. O manuseamento destes resíduos é perigoso, e não deverá, em nenhuma circunstância, tentar desmontar o extintor.

Relembramos que, para empresas e instituições, a compra de extintores é obrigatória, mas que, antes disso, devem entregar as Medidas de Autoproteção na Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que é quem valida quais, quantos, e em que locais os equipamentos de combate a incêndios devem ser instalados.

As MAP são um documento legal obrigatório, que só pode ser elaborado por projetistas credenciados na ANEPC, como é o caso dos técnicos da Alves & Rasteiro Engenharia, Consultoria e Formação. Ficou com dúvidas? Contacte-nos!


Partilhar:

Precisa de ajuda?