Suporte Básico de Vida e Desfibrilhação Automática Externa

Enquadramento:

A morte súbita é um acontecimento inesperado, constituindo-se como uma das principais causas de morte em todo o mundo, nos últimos 20 anos. Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 20 mil pessoas por dia, em todo o mundo, são vítimas de morte súbita. Nos últimos anos houve um aumento de mortes de quase 9 milhões, por doença cardíaca.2 A análise efetuada aos equipamentos de DAE utilizados logo após uma paragem cardíaca, indica uma elevada percentagem (76%) de vítimas com um incidente arrítmico particular: Fibrilhação Ventricular. A cada minuto que passa, após uma PCR, a vítima perde 10% de hipóteses de sobrevivência, pelo que, ao fim de cinco minutos sem assistência, a vítima tem apenas 50% de probabilidade de sobreviver. 
Está demonstrado que a desfibrilhação precoce, realizada entre 3 a 5 minutos após o colapso da vítima (período em que o cérebro ainda se mantém oxigenado), resulta em taxas de sobrevivência de 50 a 70%. A utilização do DAE em PCR na Europa, segundo o ERC, ainda é muito baixa (cerca de 28%).


Constitui-se assim como fundamental a intervenção rápida de quem presencia uma PCR, com base em procedimentos específicos e devidamente enquadrados - a cadeia de sobrevivência. 
Os procedimentos preconizados, quando devidamente executados, permitem diminuir substancialmente os índices de mortalidade associados à PCR e aumentar, de forma significativa, a probabilidade de sobrevivência da vítima.

Objetivos:

Suporte Básico de Vida Adulto

  • Compreender a cadeia de sobrevivência;
  • Identificar os riscos para reanimador;
  • Saber o algoritmo de Suporte Básico de Vida (SBV);
  • Executar corretamente a Posição Lateral de Segurança (PLS);
  • Realizar manobras de desobstrução da via aérea.

Suporte Básico de Vida Pediátrico

  • Conhecer a especificidade da cadeia de sobrevivência pediátrica;
  • Realizar compressões e insuflações adequadamente;
  • Colocar a criança em posição de recupreação;
  • Realizar manobras de desobstrução da via aérea.

Desfibrilhação Automática Externa

  • Compreender o conceito da cadeia de sobrevivência;
  • Identificar os potenciais riscos para o reanimador;
  • Executar corretamente as manobras de Suporte Básico de Vida (SBV);
  • Saber o conceito de DAE e as regras de segurança inerentes à sua utilização;
  • Descrever e executar corretamente a sequência do algoritmo de SBV-DAE.

Duração:

SBV Adulto 4h / SBV Pediátrico 4h / DAE 7h

Público-alvo:

População em geral.

Certificação:

Certificado de Formação Profissional e Certificado INEM.

Formadores:

A anunciar

Conteúdos programáticos:

- Cadeia de sobrevivência 

- Suporte básico de vida 

- Posição lateral de segurança 

- Desobstrução da via aérea 

- Desfibrilhação Automática Externa 

Tem interesse?


Partilhar:

Precisa de ajuda?